IDC APRESENTA EXPERIÊNCIA DOS PROJETOS SOCIOEDUCACIONAIS PARA MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DE TODO O PAÍS

 

Membros do Ministério Público dos Estados e da União estão reunidos em Salvador, no período de 27 a 29.03, para participar da ‘I Reunião Ordinária de 2019’ do Grupo Nacional de Direitos Humanos (GNDH). Com atuação em âmbito nacional, o grupo integra o Conselho Nacional de Procuradores-Gerais do Ministério Público dos Estados e da União (CNPG) e é composto por sete comissões permanentes, que discute diversos temas relacionados à área de direitos humanos na capital baiana. “Um encontro relevante, de união de forças e compartilhamento de boas práticas e construção de novas que possam resultar no que de melhor podemos oferecer ao povo brasileiro, já tão sofrido com políticas públicas insuficientes e mal direcionadas”, registrou a procuradora-geral de Justiça Ediene Lousado na abertura do evento.

Os membros do MP discutem temas de interesse da sociedade em sete comissões: infância e juventude, educação, combate à violência doméstica e familiar contra a mulher, saúde, pessoa com deficiência e idoso, direitos humanos estrito senso e meio ambiente, habitação, urbanismo e patrimônio cultural.

A convite do Ministério Público da Bahia, através da Coordenação de Apoio Operacional a Educação – CEDUC, O IDC apresentou no dia 27 (quarta-feira) a experiência dos projetos executados na área socioeducacional (Projetos Cultura da Medicação, CNV na escola e Trilhando Caminhos), e as boas práticas desenvolvidas em parceria com o MP, com destaque para as ações prevista em 2019, que visa contribuir com produção de material orientativo aos que atuam na área de educação em como tratar os casos de violência na escola, quando a rede de atendimento deve ser acionada, quais os métodos para gestão positiva dos conflitos, entre outras temáticas,  de modo à  fortalecer valores e relações interpessoais construtivas no ambiente escolar.

O IDC reafirmou seu compromisso em andar de mãos dadas com parceiros que defendem valores e direitos sociais, a exemplo do MP, destacando o quando é importante estarmos unidos e seguros de que as conquistas inauguradas pela Constituição Federal 1988 precisam ser efetivadas, em respeito à dignidade humana para todos/as que o ordenamento enaltece.

 

 

 

 

 

 

 

 

Acervo de fotos: IDC e Ministério Publico